Remédios de alto custo? Saiba como obtê-los gratuitamente

Remédios de alto custo? Saiba como obtê-los gratuitamente

Mesmo que não estejam na lista do SUS, eles podem ser conseguidos por meio da Secretaria de Saúde ou mesmo por meio.....

Read more

Como Manter Os Cuidados De Saúde Bucal No Envelhecimento

Como Manter Os Cuidados De Saúde Bucal No Envelhecimento

Com cuidados dentais regulares e hábitos diários satisfatórios poderemos manter nossos dentes por toda a vida. À.....

Read more

Quatro Maneiras De Manter Uma Boa Higiene Dental À Medida Que Você Envelhece

Quatro Maneiras De Manter Uma Boa Higiene Dental À Medida Que Você Envelhece

Bons hábitos de higiene bucal e cuidados dentais são importantes em qualquer idade. Mas à medida que você envelhece,.....

Read more

Odontogeriatria brasileira ganha espaço na Revista Brazilian Dental Science

Odontogeriatria brasileira ganha espaço na Revista Brazilian Dental Science

A Odontogeriatria como uma especialidade odontológica no Brasil: O que foi conseguido depois de 15 anos? Leonardo.....

Read more

Alongamento para a terceira idade

Alongamento para a terceira idade

Com uma sequência de exercícios muito simples, dá para movimentar diariamente o corpo todo, evitando, ou pelo menos.....

Read more

Diabete pode aumentar risco de demência em 50%

Diabete pode aumentar risco de demência em 50%

A diabete pode aumentar o risco de Alzheimer e outros tipos de demência em até 50%, aponta relatório anual sobre a.....

Read more

Estudo aponta relação entre soníferos e risco de Alzheimer

Estudo aponta relação entre soníferos e risco de Alzheimer

A utilização de certos soníferos e tranquilizantes da família das benzodiazepinas por longos períodos pode aumentar.....

Read more

Pesquisa mostra que 87% dos adultos têm medo de chegar à 3ª idade

Pesquisa mostra que 87% dos adultos têm medo de chegar à 3ª idade

Especialistas dizem que, para quem já é idoso, a principal angústia se torna a solidão Mudanças no corpo, típicas da.....

Read more

ESGOTADA a edição do livro pioneiro de Odontogeriatria no Brasil e América Latina

ESGOTADA a edição do livro pioneiro de Odontogeriatria no Brasil e América Latina

Odontogeriatria -noções de interesse clínico de Ruy Fonseca Brunetti e Fernando Luiz Brunetti Montenegro

Read more

Ondina Lobo

Ondina Lobo

VEJA O VÍDEO A Casa dos Velhinhos de Ondina Lobo é uma entidade assistencial sem fins lucrativos e considerada de.....

Read more

Remédios de alto custo? Saiba como obtê-los gratuitamente

278/odontogeriatria/remédios de graça

Mesmo que não estejam na lista do SUS, eles podem ser conseguidos por meio da Secretaria de Saúde ou mesmo por meio da justiça

Você foi diagnosticado com alguma doença e está sofrendo os percalços psicológicos de ter que enfrentar um tratamento pela frente. A última coisa que você precisa agora é uma barreira financeira que dificulte a recuperação da sua saúde, certo?

Boa parte dos remédios é fornecida pelo SUS, mas há alguns medicamentos que não estão na lista. Nestes casos, o paciente é quem fica responsável por adquiri-los. O problema é que, muitas vezes, o remédio está totalmente fora da possibilidade financeira do paciente. Mas não é o fim.

Mesmo esses remédios que não estão na lista do SUS podem ser conseguidos por meio da Secretaria de Saúde, ou mesmo por meio da justiça. Assim que você receber a prescrição médica, você terá que seguir um passo a passo para ter acesso ao “remédio de alto custo”. Confira, abaixo, como conseguir acesso a estes remédios.

Junte a documentação necessária

  • Laudo Médico: Peça o formulário de Laudo Médico na Unidade de Saúde e leve-o para o médico preenchê-lo. O laudo detalha aspectos da doença do paciente e do tratamento de modo a deixar clara a necessidade do uso do medicamento. Nesse relatório, o médico deve mencionar o código da doença na Classificação Internacional de Doenças e indicar seu número de cadastro no Conselho Regional de Medicina, assinar e carimbar o seu nome completo. Leve uma cópia simples junto à original, e carregue sempre a receita junto, pois só o laudo não basta. Nela, o médico deve mencionar o nome do remédio com seu princípio ativo e o nome genérico, a quantidade necessária a ser usada por dia, semana ou mês e a indicação de comprimidos, frascos ou refis. A receita é válida somente por 30 dias.

Dica: Se você mora no Estado de São Paulo, pode conseguir a solicitação de Laudo Médico na Unidade de Atendimento ou pelo site da Secretaria de Saúde (ver link abaixo, em ‘mais sobre o assunto na internet’). Imprima o documento e entregue-o ao médico para preenchimento, assinatura e carimbo.

  • Documentos pessoais: Junte seus documentos pessoais - RG, CPF, comprovante de residência com CEP, Cartão Nacional de Saúde (originais e uma cópia de cada), e peça ao seu médico as cópias de exames que justifiquem a necessidade do medicamento.
  • Pedido administrativo do remédio: Monte um pequeno processo com os documentos em ordem e faça tudo em 02 (duas) vias: uma deve ser entregue à instituição de saúde onde é feito o tratamento (sendo assinada pelo diretor responsável e enviada à Comissão de Farmacologia da Sec. Estadual de Saúde), e a outra via fica com você, protocolada.                    Vá até uma das unidades responsáveis pelos remédios de alto custo. Você pode conseguir o endereço na unidade de saúde onde você passou por consulta ou onde pegou o laudo médico. Somente lá você poderá fazer o pedido administrativo do remédio. Ao fazer o pedido, peça uma cópia do protocolo na sua via. Isso fará toda a diferença se você não receber o medicamento.
  • Ação judicial: Para poder ingressar com uma ação judicial, você vai precisar do documento que comprova que houve solicitação. Feito isso, o funcionário que pegou os documentos vai iniciar um procedimento administrativo para obtenção do medicamento. Por meio de um telegrama, você saberá quando e onde – geralmente a unidade de saúde mais próxima de sua casa – o remédio vai estar disponível. No entanto, não há prazos regulares, podendo ser entregue na hora, em dias ou em até três meses (em casos extremos).                          No prazo estimado de 30 dias, a Instituição de Saúde e o Paciente receberão um telegrama informando a decisão.

O que fazer quando o pedido é negado

Nem sempre os pedidos são aceitos, mesmo em casos considerados urgentes. Quando isso acontece, o paciente pode entrar com um requerimento administrativo na Secretaria de Saúde de seu estado ou com uma ação na Justiça. O procedimento é simples: o paciente escreve uma carta informando ter determinada doença para qual o médico lhe receitou o medicamento. O pedido médico deve estar anexado ao documento.

É possível partir para uma ação judicial tão logo ocorra a negativa, mas, segundo os advogados, vale fazer o requerimento primeiro porque, além de não haver necessidade de um advogado para isso – qualquer pessoa pode fazer – o juiz pode não dar ganho de causa justamente por achar que o paciente “queimou etapas”. Muitas vezes, o juiz não dá ganho de causa ao paciente alegando que não entrou anteriormente com o pedido administrativo.

Se o paciente não receber o medicamento em até 15 dias, pode entrar com medida judicial. Para entrar com um processo onde você irá requerer o medicamento, procure a Defensoria Pública ou OAB da sua cidade, onde será orientado por um advogado.


Canal de dúvidas dos internautas do Portal

Advogados do Portal Terceira Idade: Canal de dúvidasSe você ainda tiver alguma dúvida sobre como obter medicamentos de alto custo que não estão na lista do SUS, mas que podem ser conseguidos por meio da Secretaria de Saúde, ou mesmo por meio da justiça, envie suas perguntas através do formulário abaixo.

As dúvidas serão respondidas pelos advogados e colunistas de direitos da 3ª idade do Portal, que agora contam com o apoio jurídico da ABG (Associação Brasileira de Gerontologia).

 

Por: Tony Bernstein

Coordenadora Geral do Portal Terceira Idade, Pedagoga
e Jornalista (API, Assoc. Paulista de Imprensa: Reg. 21