LANÇAMENTO livro de odontogeriatria no Brasil e America Latina

LANÇAMENTO livro de odontogeriatria no Brasil e America Latina

Odontogeriatria - uma visão gerontológica (1ª edição), de Fernando Luiz Brunetti Montenegro e Leonardo Marchini,.....

Read more

Alongamento para a terceira idade

Alongamento para a terceira idade

Com uma sequência de exercícios muito simples, dá para movimentar diariamente o corpo todo, evitando, ou pelo menos.....

Read more

Diabete pode aumentar risco de demência em 50%

Diabete pode aumentar risco de demência em 50%

A diabete pode aumentar o risco de Alzheimer e outros tipos de demência em até 50%, aponta relatório anual sobre a.....

Read more

Estudo aponta relação entre soníferos e risco de Alzheimer

Estudo aponta relação entre soníferos e risco de Alzheimer

A utilização de certos soníferos e tranquilizantes da família das benzodiazepinas por longos períodos pode aumentar.....

Read more

Pesquisa mostra que 87% dos adultos têm medo de chegar à 3ª idade

Pesquisa mostra que 87% dos adultos têm medo de chegar à 3ª idade

Especialistas dizem que, para quem já é idoso, a principal angústia se torna a solidão Mudanças no corpo, típicas da.....

Read more

ESGOTADA a edição do livro pioneiro de Odontogeriatria no Brasil e América Latina

ESGOTADA a edição do livro pioneiro de Odontogeriatria no Brasil e América Latina

Odontogeriatria -noções de interesse clínico de Ruy Fonseca Brunetti e Fernando Luiz Brunetti Montenegro

Read more

Odontogeriatria

Odontogeriatria

Uma importante área para um envelhecimento saudável O envelhecimento da população é um dos maiores triunfos da.....

Read more

Ondina Lobo

Ondina Lobo

VEJA O VÍDEO A Casa dos Velhinhos de Ondina Lobo é uma entidade assistencial sem fins lucrativos e considerada de.....

Read more

Estudo aponta relação entre soníferos e risco de Alzheimer

253

A utilização de certos soníferos e tranquilizantes da família das benzodiazepinas por longos períodos pode aumentar sensivelmente o risco de se desenvolver o Mal de Alzheimer, revela um estudo franco-canadense publicado nesta quarta-feira.

Durante seis anos, os pesquisadores analisaram 1.796 casos de Alzheimer reportados em um programa canadense de assistência médica e compararam os dados com informações de 7 mil pessoas do mesmo sexo e idade, mas com boa saúde.

No estudo, publicado no site do British Medical Journal (thebmj.com), os pesquisadores concluíram que o consumo de benzodiazepinas durante mais de três meses está associado a um risco maior de sofrer de Alzheimer, que pode chegar a 51%.

O risco está associado à duração do tratamento e a utilização de benzodiazepinas cujo efeito é mais prolongado.

Os autores do estudo, entre os quais pesquisadores do francês Instituto Nacional de Saúde e Pesquisa Médica (INSERM) e da Universidade de Montreal, destacaram que os resultados "reforçam a suspeita de um vínculo direto" entre o consumo de benzodiazepinas e o Mal de Alzheimer, que ainda precisa ser confirmado.

As benzodiazepinas constituem "incontestavelmente ferramentas preciosas para tratar ansiedade e insônia temporárias", mas os tratamentos devem ser de curta duração e "não superar os três meses", destacam os especialistas.

Os resultados do estudo vão na mesma direção das advertências lançadas pelas autoridades de saúde de vários países sobre a utilização de benzodiazepinas, especialmente em pessoas mais velhas, devido aos efeitos secundários de ordem cognitiva.

Segundo a agência francesa de segurança de medicamentos (ANSM), 11,5 milhões de franceses consumiram ao menos uma vez a benzodiazepina no ano de 2012, entre os quais 7 milhões por ansiedade e 4,2 milhões transtornos do sono.

Os consumidores tinham, em média, 56 anos e quase 2/3 eram mulheres. Entre o grupo feminino, um terço estava acima dos 65 anos.